segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Despedida de um amigo


Não é fácil perder um bom amigo, com o qual partilhamos bons momentos. Um homem que lutou de forma hercúlea e digna, contra uma doença que ceifa vidas indiscriminadamente.

Foste um guerreiro. Eras um excelente ser humano, um grande amigo, um cidadão que zelava pela causa pública, um pai de família dedicado...

O teu sorriso, a tua amizade a tua vontade de viver eram contagiantes.
Nunca te esquecerei meu amigo.

Não é fácil perder pessoas de quem se gosta e esta semana é a segunda. A vida é muito injusta ...
Descansa em paz!

A arte da vida consiste em fazer da vida uma obra de arte.
Mahatma Gandhi

E foi uma obra de arte que deixaste. Uma bela família que certamente terá muitas saudades tuas, assim como muitos amigos que te respeitavam e que contigo partilharam momentos de cumplicidade ...

Viva a vida com humildade. Seja um bom ser humano. Ainda que não sejamos perfeitos, devemos dar o nosso melhor! Estime a família e os amigos. Cultive os valores que alicerçam a fé na humanidade!

Ficarás para sempre nas nossas memórias!
(Por lapso a data de falecimento está errada no vídeo, a correcta é 21/09/2017)
Até sempre meu bom amigo. Partilhei bons momentos contigo, muita cumplicidade. Que o descanso eterno te dê a paz!

Dissertação - Quanto vale a vida de um amigo?


Em que estou a pensar? 
Uma boa questão! 
Pergunto o que vale a vida de uma pessoa que lutou por si, pela família, pelos amigos, mas perdeu a batalha ...

Vale tudo, vale a saudade de uma verdadeira amizade.
Posto isto pergunto porque razão as pessoas se invejam de forma depreciativa, fomentando a discórdia, o desconforto, a má camaradagem ...

Não têm olhos? Acham que vivem para sempre? Não meus caros todos vamos para a cova. Ricos, pobres, doutores, gente humilde, novos, velhos, TODOS!

Revoltado pela perda de valores basilares como a lealdade, amizade, carácter, humildade ...
Para onde caminhamos, quando seres ditos racionais pisam tudo e todos para lograrem singrar na consideração de pessoas que aproveitam a corrosão desses valores para manipular homens como se fossem objectos?

Que merda de mundo é este quando anos de amizade, de convivência, de partilha, são lançados na lama em busca de protagonismo passageiro ou apenas por mera inveja?

Quanto mais os anos passam mais desiludido fico com o ser humano ... não com todos felizmente. Ainda existem aqueles que sobem degrau a degrau sem pisar ninguém, mas sempre sujeitos a escorregar num degrau de fel!

Acordem, olhem o espelho e vejam o que querem ser. Não se esquecem que somos todos de carne e osso, sangramos e sofremos ... as atitudes ficam com quem as toma.

A minha mãe ensinou a este órfão de pai, o valor da humildade, da honestidade, da verdade, do espírito de entre-ajuda.

Não existem seres perfeitos, mas nas nossas diferenças devemos respeitar-nos e aprender a viver em harmonia.

Pelo menos tentar ... pois o fim é de todos conhecido!

Será que conhecemos a dimensão da nossa pequenez? Olhem para a dimensão do infinito ...
Visitem aqueles que estão por um fio, lutando para recuperar a saúde perdida, talvez se faça luz na mente e se leve uma bofetada de humanidade!

Reflitam!

A vida é aquilo que fazemos dela!


Um dos maiores malefícios e venenos da actualidade é precisamente a busca incessante dos bens materiais, que alcançados, se tornam fúteis, nascendo a insatisfação e a procura incessante de prazeres nunca saciados ...


A vida é aquilo que fazemos dela! 
Viver, não é necessariamente ter e ter não é necessariamente viver. 
Muitos vivem e não têm e outros têm mas não vivem, passam pela vida mas nada vêem, não sentem, não amam, não absorvem os momentos ...

Passam ao lado, quais meros fantasmas que apenas caminham em frente sem olhar para os lados! Não arriscam, vivem na ilusão de uma vida confortável, mas no fundo amorfa, vazia!
Pequenas coisas, a natureza ... um raio de sol, o brilho, o calor que emana, o sentir na pele esse aconchego. 

A brisa fresca do vento, que acaricia a pele, massajando a alma carente, tornando os fardos leves, transponíveis!
O mar, o contacto com a água salgada, tempero dos corações inquietos ...

Viver não é necessariamente ter. Nada possuímos que seja realmente nosso, no fundo temos o momento, o prazer passageiro, que devemos absorver ...


João Salvador - 25/09/2017

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Memórias de uma estrela


Vasculhava memórias,
procurava sorrisos,
amizades,
alegrias vividas!

Paralisei na memória do teu sorriso,
Uma jovem cheia de vida,
Adorável amiga,
Encantadora ...

Apercebi-me que a tua luz já se extinguiu,
Mas as memórias prevalecem,
Nos sorrisos que deixaste,
No amor que partilhaste!

Vives lá no alto,
Cavalgando as estrelas,
Num lugar teu,
Um dia também meu!



João Salvador - 18/09/2017

Nota: Saudosa homenagem a uma grande amiga (Lucília Afonso) que vive nos nossos corações.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Superação humana



O ser humano possui uma capacidade de superação muito acima do que pensamos ser possível. Mas essa resiliência, esse vontade, esse garra de superação advém da vontade de fortalecer os valores da própria vida!

É nas dificuldades, desde a mais insignificante à mais hercúlea, que nasce a vontade de superar, de vencer, de viver ...

Nesses momentos, os pequenos gestos, as pequenas coisas ganham um verdadeiro sentido, por isso sorria, partilhe, cultive a amizade descomprometida, ame, aproveite o que a terra mãe lhe proporciona ...
Viva de forma a sentir-se bem consigo próprio ...



João Salvador - 18/08/2017





domingo, 11 de junho de 2017

O que nos define é o que somos não o que temos!


O que nos define é o que somos não o que temos! 
Muitos possuem tudo e são nada, outros possuem nada e são tudo!
Uma questão de valorizar a essência humana, a nossa ...

João Salvador - 31/01/2017


Quer? Então faça!


Para se alcançar as metas e os objectivos é necessário, lutar, persistir e nunca desistir. 
Sem esforço nada se consegue ...
A inércia, a desorganização, a falta de vontade, levam ao insucesso e a quebra dos sonhos almejados!
Quer? Então faça! 
Não quer, não se queixe, nem inveje quem trabalha arduamente. Não inveje quem se esforça, quem tem sucesso, pois fez por merecê-lo! 
Sujeite-se assim, mercê da sua incúria e preguiça, aquilo que a vida lhe der ...


João Salvador - 09/02/2017

Um pai é um ser imperfeito





Um pai é um ser imperfeito. Retira de si os valores mais puros, em prol dos seus filhos!
Esse amor incondicional reveste-se de muitas formas: decidindo, ajudando, educando, orientando, deixando depois que a vida lime os valores transmitidos.

João Salvador - 16/02/2017

Tempos conturbados



Vivemos tempos conturbados, onde os valores nada dizem a muitos dos nossos jovens, cujas vidas foram demasiadamente facilitadas. 
Tal é manifestando em comportamentos grupais ou isolados, sendo facilmente influenciáveis pelas massas, ou por outros jovens com personalidades de liderança, como foi o caso recentemente publicitado pelos órgãos de comunicação social!
Não se dão conta das privações dos pais, do esforço, da luta diária para lhes dar educação, dignidade, tudo que estes não tiveram.
Muitos foram criados em redomas de vidro, sem ouvirem um não, desconhecendo as regras mais basilares da vivência humana.
Tudo lhes foi dado de mão beijada. Um grande erro dos pais ...
As regras, a disciplina, a educação são de extrema importância.
Ou se estabelecem regras desde cedo, ou a vida os ensinará da forma mais madrasta.
Os erros, esses são uma aprendizagem, mas muitas vezes difíceis de cicatrizar. As feridas se profundas marcam para a vida!
Ser pai é ser amigo, mas rígido e exigente, pois só assim se moldam as personalidades fortes, com carácter e humildade!
Precisamos saber se queremos filhos felizes e realizados, ou filhos mimados que perdem o rumo, vivendo no limbo da irresponsabilidade, da imaturidade...
Ser pai é amar, orientar, aconselhar, educar, moldar ...



João Gomes Salvador - 14/04/2017

Abril ofereceu as liberdades



Naquele dia, Salgueiro Maia e os seus homens, destruíram as barreiras de uma ditadura, que mergulhou Portugal, durante anos a fio num limbo de obscuridade! 
Tempos não vividos por mim, apenas estudados, não tendo eu sentido na pele as amarguras do regime. 
Nesses tempos, imperava o medo é certo, mas também reinava a humildade, a pureza nas almas dos cidadãos, o patriotismo, o amor à terra mãe!
Hoje reina a liberdade, tão almejada. 
Nalguns casos confundida com a possibilidade de tudo fazer, sem respeitar todos aqueles com quem se priva, esquecendo-se os deveres e as mais básicas regras de civilidade.
O que se quer hoje? Tudo e nada ao mesmo tempo!
Os cidadãos (não todos felizmente), vivem hoje do chico- espertismo, não se rogando, vivendo de esquemas, de espezinhamento, de egocentrismo!
Valores? Para muitos nada dizem ...
O cidadão, para as elites são apenas o sustento dos seus vícios, das suas ambições. Para esses somos nada, uns bonecos, cordeiros que ruminam nos pântanos dos esquemas, engendrados, pelos lobos vestidos com pele de cordeiro!
Afinal o que se quer hoje, quando se vive mais para o futebol (não que não seja importante o lazer e o divertimento), do que para a cidadania activa?
Os tempos que se avizinham não são fáceis. Que futuro nos espera e que lições a retirar de um 25 de abril, que para muitos foi, não apenas de liberdade mas de aproveitamento e de destruição da imagem da nação e do sentimento de patriotismo e amor para com a pátria mãe.
"Máxima liberdade, máxima responsabilidade" - cada vez este cliché é menos valorado!

João Salvador - 25/05/2017