sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Dúvida



A dúvida em ti reside
Impregnada na mente
Irrigando o pensamento
No limbo do esquecimento


São insónias, que abalam
São pesadelos que se calam
São sonhos ardentes
São delírios quentes …
Que acompanham o suplício
Numa noite sofrida de dúvida


Mas esta depressa se esfuma
Voando ao sabor da bruma
Sem direito e sem tino
Quão duro é o destino!



João Salvador – 10/10/2011

3 comentários: