sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Pinto o meu mundo



Pinto o meu mundo como belo
Dou-lhe pinceladas de cor
Curo-lhe as feridas que gritam
Apago os cinzentos da dor


Mergulho no azul do oceano
Extraindo-lhe todo o encanto
Enquadro-o numa tela
Rodeio-o à luz da vela
Com toda a delicadeza
Procuro a sua beleza


Busco no deserto das gentes
O sentimento acabado
Procuro nele uma réstia de amor
Para revigorar numa flor


Corro incansavelmente. Entro numa floresta de vida
Procuro a sua mestria, na magia que emana
Respiro com fulgência o seu aroma
Sinto-me livre e vivo para viver
Neste planeta de amor


Este é o meu mundo
É aqui que eu vivo
E dele eu faço parte
Foi aqui que eu cresci
E até agora vivi!


Este é o meu mundo
Belo e gracioso
Maltratado pelas gentes
Tantas vezes inconscientes!



João Salvador – 01/11/2011
 

2 comentários:

  1. Encantei-me com esse colorido, com esse lado poético que faz as coisas terem mais sentido. Admirei o que está escrito e tocou-me sensivelmente a forma como está transcrito um sentimento de amor latente a despeito da inexistência dele para tanta gente inconsequente. Parabéns poeta!!!!!!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pelo seu comentário. Adoro o "nosso" mundo. Assim fosse com todos nós e seguramente seria bem melhor!

    ResponderEliminar