segunda-feira, 9 de abril de 2012

Visão do teu corpo



Olhas para o interior da alma da mulher que te cativa.
Desejas o pecado original. Assim o sabem os amantes!
Queres refugiar-te no seu leito, envolvido por lençóis de seda.
Enlouqueces com a sua visão, que te cega … de paixão!


Torneia as ancas de modo sensual, prende-te nesse enredo,
Chamando-te através do seu corpo. Queres perder-te?
Transpiras desatino e paixão desenfreada, que queres aplacar!
Uma incessante sensação de loucura, percorre-te a mente.

És possuído pela sua presença subtil, mas poderosa!
És hipnotizado pelas suas formas delineadas no horizonte,
Pelo seu corpo escultural que exala sensualidade,
O qual banhou numa fonte perfumada pelo amor!


Sentes-te impotente para combater tão intenso desejo,
Aprisionado na visão do seu corpo, enfeitiçado pela luz do luar,
Acorrentado a um olhar selvático, enérgico, vigoroso e felino.
Olhar, com o qual te brinda e te chama nessa teia de amor. 


O sangue ferve; sobe descompassado e descontrolado,
Num coração palpitante, demente …um vulcão em erupção.
O pensamento já não existe … apenas a vontade de tê-la!
Um desejo intenso e diabólico que te mata de tentação.


Um desejo que não desejas apaziguar … apenas saciar!

1 comentário:

  1. Profundo e envolvente. Este jogo dos sentimentos e das palavras fascina-me. Parabéns!

    emília Cavaleiro conceição

    ResponderEliminar