domingo, 18 de setembro de 2011

Sono profundo


Dormia o sono dos justos; profundo, deitado num mundo instável
Sonhava com o amanhecer sereno, numa acalmia plena de vida …
Queria um amanhecer feliz; deslumbrante; soalheiro e belo
Queria um novo dia a nascer … para te ver, lavrada pela luz

No meu sono vi-te. Pensava nas tuas palavras gravadas
Sonhava com os teus desejos, a tua ânsia de vida, os teus ensejos
Afastava com beijos ternos, os teus fantasmas que se esfumavam
No meu peito descansavas Afrodite, por mim venerada e amada

Sentia-te numa paz contagiante, uma respiração tranquila
Dormiam os corpos entrelaçados, aconchegados e quentes
Esperançados no sentimento puro do amor … o nosso amor!

O sonho passou célere, saboreado; apreciado a cada segundo
Sentido pela beleza deslumbrante de luz que nos envolveu
Acordei em paz na esperança de viver um novo dia … feliz!

João Salvador – 14/09/2011

Sem comentários:

Enviar um comentário