segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Mar de sentimentos



Alimentas lágrimas salgadas, na vastidão de ti.
Chicoteias as rochas, que atormentas sem descanso,
desgastando sentimentos perdidos nos corações empedrados,
num ritmar tormentoso; incessante; tresloucado e irado.


Em dias tumultuosos, a ira de Posídon assola-te.
Deus que cavalga as tuas ondas em cristas altivas.
Dominador dos seres do oceano que engoles no teu ventre,
numa vastidão furiosa, tempestuosa mas bela!


Nem o tridente dos deuses controla as tuas marés.
És senhor de ti próprio, és supremo... és o adamastor,
que apenas a alma Lusa conseguiu apaziguar!



Vencido por teu próprio jeito, mas senhor de ti.
Por graça, banhas-te camões, poeta luso, herói da nação.
Que imbuíste de inspiração, na redenção da sua própria paixão!


João Gomes Salvador – 01/01/2011

2 comentários:

  1. Que bonito...vi o link no grupo "escrever" do facebook e vim conferir. Adorei as palavras cheias de poesia!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pelas suas palavras de apreço e incentivo. É para mim um prazer fazer parte do grupo "escrever".

    ResponderEliminar