sexta-feira, 15 de julho de 2011

Devaneios de desejo



Procuro na noite a clarividência da lua, na tua luz,
Procuro uma réstia de esperança no teu olhar,
Almejo, encontrar-me em ti,
Busco respostas que não me dás,
Não vês que te quero, que respiro de desejo?


Alimento-me do teu perfume, da visão do teu corpo,
Vivo do som da tua voz doce e inconfundível,
Numa melancólica, monocórdica voz, que me enlouquece.


A tua aura percorre todo o teu corpo,
Corpo que irradia paixão e me alimenta o desejo,
Enfeitiças-me, aprisionas os meus sentimentos,
Sinto-me perdido, um ardor, uma paixão que não controlo!


Persegues-me constantemente nos pensamentos,
Uma lembrança sumptuosa, deliciosa, mas ao mesmo tempo dolorosa,
Uma dor que se arrasta, que quero curar,
Apenas o teu corpo como remédio será a solução.


Falamos por entre palavras que não concluímos,
Perdemos minutos na vida, que são preciosos,
Queria viver intensamente esta paixão, sem ilusão,
Concretizar os teus desejos e os meus, numa união,
Sentir o teu calor a percorrer o meu corpo. Arrepio-me!


Quero concretizar o que desejo,
Antes que a morte apareça arrebatadora e impiedosa.
Mas ainda assim, sonho …. porque te desejo.


João Salvador

Sem comentários:

Enviar um comentário