sexta-feira, 15 de julho de 2011

Loucura


Procuro o teu corpo ardente, quente … fico louco,
Quase padeço de dor ... de vontade, não me controlo.
Perco-me em pensamentos, que não devia ter, mas que não afasto.
Não consigo deixar de sentir, cada vez que te olho, imploro … olhas e não vês!
Os meus pensamentos, tornam-se um turbilhão de paixão
Quero possuir-te, tu sabes que sim, não to digo, pois enlouqueço.
O teu corpo, torneado deixa-me louco de ardor …
Um calor infernal, apodera-se do meu corpo, perco-me em ti.
Tu, atormentas-me o pensamento, és um encantamento que não passa.
Ter-te, seria o realizar de um pecado, a satisfação de um desejo.
Sei que esse pecado te cativa, apesar de altiva, olhas-me com olhos de gula!
Ter-me-ás, se o quiseres, pois assim o desejas.
Quero sentir o teu corpo, fundir-se no meu …
O meu no teu, numa paixão desenfreada, que não acaba …
Uma fusão, uma paixão, uma ilusão ….
A fusão de dois corpos que se querem.

Sem comentários:

Enviar um comentário