sexta-feira, 15 de julho de 2011

Réstia de vida



Procuro em mim um sinal da tua presença,
Procuro reviver na memória o aroma do teu corpo,
Um suspiro, um sorriso; um gesto, algo que me alimente.
É uma procura, incessante e tresloucada, de algo que já não tenho!

Não alcanço esse sinal,
Desespero; angústia e medo,
Uma tristeza agonizante e intensa,
Caiu-me uma lágrima que me banha a face.

Sinto que te perdi … no entanto acho que nunca te tive,
Não importa, sabes que preenchias em mim aquilo que agora não tenho,
A tua luz irradiava em mim um sorriso; uma quietude; uma paz …
Eras a minha réstia de vida, o meu alento … eras minha. Perdi-te!


João Salvador

Sem comentários:

Enviar um comentário